quinta-feira, 24 de agosto de 2017

RABISCANDO: ELFOS NA FLORESTA


Saudações joviais.
Procurando um tema para praticar, resolvi usar Tagmar como inspiração para o exercício de desenho do final de semana, no caso, sobre o texto voltado para Palier, deus do conhecimento, magia e patrono dos elfos.
Continuo seguindo na busca de estilo próprio misturando um traço voltado ao cartum e usando hachuras (hatching) para sombreamento O primeiro por ser um modo mais simplificado para retratar alguma ideia ocasional e a outra por dar um ar pulp cujo efeito eu gosto bastante.
Outro recurso que estou utilizando é o uso de canetas esferográficas para desenhar. Era uma prática que eu considerava improvisada, mas depois que vi algumas aplicações avançadas e que ela pode oferecer um efeito próprio na arte, escolhi explorar mais a utilização desse tipo de caneta para desenhar. Principalmente depois que fiquei admirado ao ver alguns trabalhos de um artista chamado Kurt Brugel que apresenta tudo que eu curto: pegada pulp com hachuras (apesar de não ser cartunesco).
Enfim, eis o resultado do exercício de desenho do final de semana:
Desenho: MWXS
Eu tenho sentido falta e necessidade de dominar hachuras cruzadas (crosshatching), sempre que eu tento algo neste sentido gera um efeito xadrez que não me agrada. Mas mesmo usando linhas mais ou menos na mesma orientação para hachurar este desenho, aplicando algumas camadas extras para obter tons mais escuros, gostei do resultado. Até pensei em me contentar com esse tipo de método mesmo. Vamos ver.
Ocasionalmente eu já vinha usando a comunidade do Google+ Regro-Gamers Brasil como fonte de ideias para exercícios de desenho, mas com minha recente vontade de usar partidas de RPG para dar uma incrementada na atividade escrita (assim como reavivar a parca habilidade em desenho que eu tinha na juventude), acabei ganhando um bom leque extra de opções.
Há tempos eu tenho a ideia e vontade de ilustrar o blog com imagens próprias ao invés de usar material de terceiros sem autorização, então esta é a desculpa perfeita para eu usar e brincar mais com lápis, caneta, borracha e papel. O resultado não vai ser nenhum John Byrne ou John Buscema... Mas bom, RPG se trata também de usar a imaginação. Além disso, essa budega de blog é minha, afinal.
Né não? :-D
Bons Ventos.
MWXS

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

DIÁRIOS DE CAMPANHA: CRÔNICAS DE SAH'GAH #02

A ESPADA CAÓTICA E O MACHADO DA DESTRUIÇÃO
Partidas jogadas em meados da década de 1990.

ANTECEDENTES 
O aventureiro andarilho Scorpion havia começado suas viagens pelo reino e encontrado seu primeiro grande desafio quando passou por uma aldeia que estava sendo assombrada pelo Templo de Hunder, a morada de um demônio que surge magicamente trazendo névoas e terror por onde passa. Scorpion conseguiu salvar a aldeia e vencer o próprio Hunder, mas ao custo da vida de seu camarada de viagem, Blodia, que morreu pelas mãos do demônio. 
PERSONAGENS DOS JOGADORES 
  • Paul, aventureiro andarilho (CIA): um guerreiro que não deixa desaforo para trás. 
  • Scorpion, aventureiro andarilho (Robim): um ladino impulsivo que gosta de boa vida. 
PERSONAGEM DO MESTRE 
  • John Meia-Vida, arqueiro morto-vivo: um misterioso esqueleto errante, carregando um arco mágico. 
ANO 997 
Scorpion encontrou o morto-vivo chamado John Meia-Vida que começou a seguir o aventureiro, ajudando-o sem revelar seus próprios objetivos. Meia-Vida tinha o corpo esquelético, oculto por debaixo de um capuz cinzento. Ele tinha a posse de um arco mágico que disparava flechas de energia. Tempos depois Scorpion encontrou a lâmina mágica conhecida como Espada Caótica, um item com poder imprevisível mas poderoso. 
Imagem: John Meia-Vida. Desenho: MWXS
Enquanto isso, outro aventureiro, Paul, começava sua própria jornada pelo reino. Numa de suas explorações, encontrou uma poção mágica que aumentou sua força física. 
Imagem: Paul. Desenho: MWXS
Paul acabou conhecendo Scorpion e os dois se aliaram para explorar uma masmorra. A partir dali a dupla cultivou uma relação de camaradagem e rivalidade. Em suas aventuras, os dois acharam um artefato devastador chamado Machado da Destruição. Infelizmente naquele momento a competição foi maior do que a amizade que estava se formando e os dois acabaram lutando pela posse do objeto. Numa ação impulsiva Scorpion usou o poder do machado contra Paul, que ficou entre a vida e a morte. Arrependido pelo seu ato, Scorpion salvou a vida de seu aliado (não antes de lhe pregar uma peça, raspando o cabelo de Paul) e deixou a posse do artefato para ele. 
Scorpion e Paul continuaram explorando o mundo juntos por anos, encontrando figuras inusitadas como o grupo de artistas conhecidos como Bardos da Rua de Baixo, tocando em diversas tabernas pelo reino, e Hakim, o marinheiro bêbado e efeminado, sempre trancafiado em alguma prisão, sempre buscando confusão. 
NOTAS DO MESTRE DE JOGO 
Infelizmente este período é provavelmente o que sofreu mais perdas de acontecimentos pela falta da memória, então só pude resgatar alguns fatos chave, mas valeu resgatar mais estes elementos que fizeram parte das minhas primeiras sagas nos mundos dos RPGs. Neste post, conto os momentos em que nosso camarada CIA se juntou a mim e ao Robim em nossas partidas de RPG, numa época em que nem conhecíamos AD&D, Vampiro: A Máscara e GURPS, os principais sistemas de jogo naqueles tempos. 
As duas armas mágicas que apareceram nestas aventuras, a Espada Caótica e o Machado da Destruição surgiram de uma edição da paleontológica revista Só Aventuras, da equipe da Dragão Brasil. Enquanto os Bardos da Rua de Baixo (na verdade chamados de Back Street Bards, referências óbvias aos Back Street Boys) serviam de alívio cômico, o marinheiro Hakim muitas vezes era usado como castigo quando os jogadores tiravam o dia para avacalhar com a partida (e mandando os planos do mestre para as favas!), era um oponente que resiliente que geralmente encontrava os aventureiros desarmados (e trancafiados numa cela junto com ele). 
Crônicas de Sah'gah é a transcrição dos acontecimentos de partidas de RPG. Os personagens, lugares e eventos contadas aqui são criações livres de seus jogadores. A primeira parte, "O Templo de Hunder", pode ser lida neste link
MWXS 

domingo, 13 de agosto de 2017

RPGISTA PIRANGUEIRO: GRID DE COMBATE HEXAGONAL PARA DOWNLOAD

Saudações joviais.
Como eu costumo dizer, antes tarde do que mais-tarde...
Há alguns meses (neste link) eu postei alguns grids de combate para RPG em A4 e A3. Apenas com quadrados, na ocasião eu deixei prometido que disponibilizaria grids com hexágonos e eis que tive um tempinho extra para passar aqui e deixar o material disponível para quem quiser usá-lo.
Imagem: MIKEMWXS
Para baixar os grids em jpg basta clicar nas imagens, para fazer o download dos arquivos em pdf basta clicar aqui para o grid em A4 e aqui para o grid em A3.
Imagem: MIKEMWXS
Grids com hexágonos podem ser usados em RPGs como GURPS, o clássico Street Fighter RPG, entre outros, ou mesmo por alguns wargames/jogos de estratégia.
O ideal é imprimir e plastificar o grid para que possa ser riscado com caneta (eu uso marcadores para quadro branco) e apagado com flanela e álcool.
Eu fiz para uso pessoal, mas espero que o material seja útil para mais alguém.
Bons dados.
E Bons Ventos.
MWXS
>>>