sábado, 2 de setembro de 2017

RABISCANDO: IVO ROBOTNIK

Saudações joviais.

Lá vai eu mais uma vez rabiscando usando um tema da comunidade Retro-Gamers Brasil no Google+, que este mês escolheu o Doutor Ivo Robotnik, também conhecido como Eggman, principal antagonista do famoso ouriço da Sega, Sonic, The Hedgehog.
Imagem: Ivo Robotinik. Desenho: MWXS
Para fazer essa minha leitura do personagem, me baseei em Wilson Fisk, AKA Rei do Crime (Kingpin), do Universo Marvel. Continuando as tentativas de usar canetas esferográficas e hachuras (hatching) e tendo trabalho ao fazer hachuras cruzadas (crosshatching).
Próximos rabiscos serão voltados para o próximo diário de campanha, eu estava querendo desenhar algo inspirado no centenário do nascimento do mestre Jack Kirby, então vamos ver o que os deuses reservam até o próximo final de semana.
Bons ventos.
MWXS

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

RABISCANDO: ELFOS NA FLORESTA


Saudações joviais.
Procurando um tema para praticar, resolvi usar Tagmar como inspiração para o exercício de desenho do final de semana, no caso, sobre o texto voltado para Palier, deus do conhecimento, magia e patrono dos elfos.
Continuo seguindo na busca de estilo próprio misturando um traço voltado ao cartum e usando hachuras (hatching) para sombreamento O primeiro por ser um modo mais simplificado para retratar alguma ideia ocasional e a outra por dar um ar pulp cujo efeito eu gosto bastante.
Outro recurso que estou utilizando é o uso de canetas esferográficas para desenhar. Era uma prática que eu considerava improvisada, mas depois que vi algumas aplicações avançadas e que ela pode oferecer um efeito próprio na arte, escolhi explorar mais a utilização desse tipo de caneta para desenhar. Principalmente depois que fiquei admirado ao ver alguns trabalhos de um artista chamado Kurt Brugel que apresenta tudo que eu curto: pegada pulp com hachuras (apesar de não ser cartunesco).
Enfim, eis o resultado do exercício de desenho do final de semana:
Desenho: MWXS
Eu tenho sentido falta e necessidade de dominar hachuras cruzadas (crosshatching), sempre que eu tento algo neste sentido gera um efeito xadrez que não me agrada. Mas mesmo usando linhas mais ou menos na mesma orientação para hachurar este desenho, aplicando algumas camadas extras para obter tons mais escuros, gostei do resultado. Até pensei em me contentar com esse tipo de método mesmo. Vamos ver.
Ocasionalmente eu já vinha usando a comunidade do Google+ Regro-Gamers Brasil como fonte de ideias para exercícios de desenho, mas com minha recente vontade de usar partidas de RPG para dar uma incrementada na atividade escrita (assim como reavivar a parca habilidade em desenho que eu tinha na juventude), acabei ganhando um bom leque extra de opções.
Há tempos eu tenho a ideia e vontade de ilustrar o blog com imagens próprias ao invés de usar material de terceiros sem autorização, então esta é a desculpa perfeita para eu usar e brincar mais com lápis, caneta, borracha e papel. O resultado não vai ser nenhum John Byrne ou John Buscema... Mas bom, RPG se trata também de usar a imaginação. Além disso, essa budega de blog é minha, afinal.
Né não? :-D
Bons Ventos.
MWXS

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

DIÁRIOS DE CAMPANHA: CRÔNICAS DE SAH'GAH #02

A ESPADA CAÓTICA E O MACHADO DA DESTRUIÇÃO
Partidas jogadas em meados da década de 1990.

ANTECEDENTES 
O aventureiro andarilho Scorpion havia começado suas viagens pelo reino e encontrado seu primeiro grande desafio quando passou por uma aldeia que estava sendo assombrada pelo Templo de Hunder, a morada de um demônio que surge magicamente trazendo névoas e terror por onde passa. Scorpion conseguiu salvar a aldeia e vencer o próprio Hunder, mas ao custo da vida de seu camarada de viagem, Blodia, que morreu pelas mãos do demônio. 
PERSONAGENS DOS JOGADORES 
  • Paul, aventureiro andarilho (CIA): um guerreiro que não deixa desaforo para trás. 
  • Scorpion, aventureiro andarilho (Robim): um ladino impulsivo que gosta de boa vida. 
PERSONAGEM DO MESTRE 
  • John Meia-Vida, arqueiro morto-vivo: um misterioso esqueleto errante, carregando um arco mágico. 
ANO 997 
Scorpion encontrou o morto-vivo chamado John Meia-Vida que começou a seguir o aventureiro, ajudando-o sem revelar seus próprios objetivos. Meia-Vida tinha o corpo esquelético, oculto por debaixo de um capuz cinzento. Ele tinha a posse de um arco mágico que disparava flechas de energia. Tempos depois Scorpion encontrou a lâmina mágica conhecida como Espada Caótica, um item com poder imprevisível mas poderoso. 
Imagem: John Meia-Vida. Desenho: MWXS
Enquanto isso, outro aventureiro, Paul, começava sua própria jornada pelo reino. Numa de suas explorações, encontrou uma poção mágica que aumentou sua força física. 
Imagem: Paul. Desenho: MWXS
Paul acabou conhecendo Scorpion e os dois se aliaram para explorar uma masmorra. A partir dali a dupla cultivou uma relação de camaradagem e rivalidade. Em suas aventuras, os dois acharam um artefato devastador chamado Machado da Destruição. Infelizmente naquele momento a competição foi maior do que a amizade que estava se formando e os dois acabaram lutando pela posse do objeto. Numa ação impulsiva Scorpion usou o poder do machado contra Paul, que ficou entre a vida e a morte. Arrependido pelo seu ato, Scorpion salvou a vida de seu aliado (não antes de lhe pregar uma peça, raspando o cabelo de Paul) e deixou a posse do artefato para ele. 
Scorpion e Paul continuaram explorando o mundo juntos por anos, encontrando figuras inusitadas como o grupo de artistas conhecidos como Bardos da Rua de Baixo, tocando em diversas tabernas pelo reino, e Hakim, o marinheiro bêbado e efeminado, sempre trancafiado em alguma prisão, sempre buscando confusão. 
NOTAS DO MESTRE DE JOGO 
Infelizmente este período é provavelmente o que sofreu mais perdas de acontecimentos pela falta da memória, então só pude resgatar alguns fatos chave, mas valeu resgatar mais estes elementos que fizeram parte das minhas primeiras sagas nos mundos dos RPGs. Neste post, conto os momentos em que nosso camarada CIA se juntou a mim e ao Robim em nossas partidas de RPG, numa época em que nem conhecíamos AD&D, Vampiro: A Máscara e GURPS, os principais sistemas de jogo naqueles tempos. 
As duas armas mágicas que apareceram nestas aventuras, a Espada Caótica e o Machado da Destruição surgiram de uma edição da paleontológica revista Só Aventuras, da equipe da Dragão Brasil. Enquanto os Bardos da Rua de Baixo (na verdade chamados de Back Street Bards, referências óbvias aos Back Street Boys) serviam de alívio cômico, o marinheiro Hakim muitas vezes era usado como castigo quando os jogadores tiravam o dia para avacalhar com a partida (e mandando os planos do mestre para as favas!), era um oponente que resiliente que geralmente encontrava os aventureiros desarmados (e trancafiados numa cela junto com ele). 
Crônicas de Sah'gah é a transcrição dos acontecimentos de partidas de RPG. Os personagens, lugares e eventos contadas aqui são criações livres de seus jogadores. A primeira parte, "O Templo de Hunder", pode ser lida neste link
MWXS 

domingo, 13 de agosto de 2017

RPGISTA PIRANGUEIRO: GRID DE COMBATE HEXAGONAL PARA DOWNLOAD

Saudações joviais.
Como eu costumo dizer, antes tarde do que mais-tarde...
Há alguns meses (neste link) eu postei alguns grids de combate para RPG em A4 e A3. Apenas com quadrados, na ocasião eu deixei prometido que disponibilizaria grids com hexágonos e eis que tive um tempinho extra para passar aqui e deixar o material disponível para quem quiser usá-lo.
Imagem: MIKEMWXS
Para baixar os grids em jpg basta clicar nas imagens, para fazer o download dos arquivos em pdf basta clicar aqui para o grid em A4 e aqui para o grid em A3.
Imagem: MIKEMWXS
Grids com hexágonos podem ser usados em RPGs como GURPS, o clássico Street Fighter RPG, entre outros, ou mesmo por alguns wargames/jogos de estratégia.
O ideal é imprimir e plastificar o grid para que possa ser riscado com caneta (eu uso marcadores para quadro branco) e apagado com flanela e álcool.
Eu fiz para uso pessoal, mas espero que o material seja útil para mais alguém.
Bons dados.
E Bons Ventos.
MWXS
>>>

quarta-feira, 26 de julho de 2017

PARA DOWNLOAD: FICHA DE FUZION EM PT-BR

Saudações joviais.
Em minha experiência como jogador de RPG os sistemas genéricos sempre estiveram entre meus favoritos... Não por eu ter qualquer predileção por regras em si, mas porque eu gosto da modularidade que alguns deles apresentam, de modo que possam ser roladas aventuras em uma quantidade variada de gêneros. GURPS, 3D&T, Savage Worlds... São jogos que me chamam atenção ainda hoje, cada um a seu modo, com a sua abordagem peculiar.
Mas meu garimpo continua. Principalmente quando encontro versões fastplay ou mesmo quando o jogo se apresenta aberto para jogadores, como é o caso do D6 System.
Atualmente minha atenção está na leitura do sistema Fuzion, criado pela colaboração entre a R.Talsorian Games e a Hero Games, pela "fusão" dos sistemas Interlock (usado em Cyberpunk 2020 e Mekton Zeta) e Hero System (de Champions). O Fuzion é um sistema simples e foi usado em vários jogos baseados em animes, como Dragon Ball Z, Armored Trooper Votoms e Bubblegun Crisis.
Imagem: DrivethruRPG
E como sonhar em jogar não custa e a procrastinação é grande, resolvi traduzir as fichas para usar. Um dia. Ao menos a possibilidade existe enquanto a empolgação render.
De qualquer forma, aproveito para disponibilizar as fichas para quem mais quiser se enveredar neste sistema, que é bem simples.
  • Fuzion BR: usa os elementos mecânicos usados no sistema básico, aqui usei uma tradução mais literal ou o mais próximo disso. Para quem quiser usar as regras como estão apresentadas. link para download aqui.
  • Fusão: esta versão utiliza os elementos que pretendo usar na aventura vindoura que jogarei. Com uma lista própria de Características e termos que achei mais confortáveis de usar em jogo. link para download aqui.
Só lembrando que eu não sou tradutor profissional e minha tradução livre usa apenas termos que me pareceram mais adequados.
O Fuzion pode ser encontrado de duas maneiras: uma versão gratuita no site da R.Talsorian e uma versão paga na DrivethruRPG.
É isso. Que os deuses lhes reservem bons dados!
MIKEMWXS
>>>

domingo, 23 de julho de 2017

DIÁRIOS DE CAMPANHA: CRÔNICAS DE SAH'GAH #01

O TEMPLO DE HUNDER
Partidas jogadas em meados da década de 1990. 
ANTECEDENTES
Os andarilhos Scorpion e Blodia viajavam pelo reino em busca de ouro e aventuras, alugando sua espada em troca de boa acomodação e bebida. Era uma vida simples, mas intensa. Fazendo com que ganhassem habilidade e experiência em combate.
PERSONAGEM DO JOGADOR
  • Scorpion (Robim): aventureiro andarilho, um jovem impulsivo e exímio espadachim. 
Scorpion. Desenho: MWXS
PERSONAGEM DO MESTRE
  • Blodia: aventureiro andarilho. Um jovem espirituoso e arqueiro hábil. 
Blodia. Desenho: MWXS
ANO 996, DIA 89 DO MÊS DA LUA CHEIA
O aventureiro Scorpion atravessava o reino em busca de algum serviço mercenário quando se aproximou de uma aldeia que estava passando por uma forte cerração. Scorpion estava acompanhado de Blodia, um bom amigo e arqueiro habilidoso. A dupla desconfiou do nevoeiro, mas sem outro caminho para tomar, resolveram passar pela aldeia e encontrar onde descansar.
Os habitantes do lugar estavam todos trancadas dentro de suas casas e os aventureiros perceberam tarde demais que o nevoeiro sinistro era os impedia de saírem da aldeia! Ao deixar a aldeia para trás em meio a névoa, eles se viam novamente na entrada por onde vinham. A aldeia havia sido escolhida para a aparição do Templo dos Sussurros, a morada mágica do demônio conhecido como Hunder!
Em busca de terminar com aquela maldição que havia se abatido sobre eles, a dupla resolveu adentrar o templo maldito. A construção antiga estava vazia, ou assim eles pensaram, até serem atacados por seres humanóides feitos de uma matéria escura. Eram golens de necroplasma, criaturas artificiais animadas magicamente para obedecer seu mestre… E castigar invasores!
Scorpion e Blodia venceram os golens e encontraram uma ampla câmara, rodeada de colunas e estátuas... Na parede oposta, havia uma opulenta escultura de um gárgula sentado num trono. A falta de ventilação naquele salão deixava o ar denso, o ambiente era opressor ao espírito de quem o adentrava. Cuidadosos, os aventureiros prosseguiram e num susto perceberam que o trono diante deles não estava ocupado por uma estátua!
Estavam diante de um demônio de verdade! A criatura cinzenta se ergueu, haviam cravos espalhados pelo seu corpo robusto. O gárgula não possuía boca, mas falava dentro da mente dos aventureiros, eram sussurros que os amaldiçoam e que faziam juramentos de punição pela invasão de sua morada.
Era o demônio conhecido como Hunder! Ele atacou Scorpion e Blodia, com seus músculos potentes e magias de fogo. Foi um combate ferrenho, Scorpion viu seu companheiro ser ferido mortalmente e num golpe de sorte, usou um último recurso: entre seus pertences estava uma adaga de sal, que acabou descobrindo ser um ítem capaz de enviar o espírito maligno de volta para o Abismo! Seu derradeiro golpe cortou um dos chifres do demônio e fez com que seu corpo se desfizesse. 
Hunder. Desenho: MWXS
Logo o templo inteiro se desmanchou, se misturando às névoas fantasmagóricas que o trouxeram. Por um instante tudo pareceu um sonho, mas diante de Scorpion estava a prova de que tudo havia sido real: Blodia havia morrido.
>>>
NOTAS DO MESTRE DE JOGO
Esta publicação conta (muito) resumidamente uma das aventuras jogadas durante os primeiros anos em que conheci os RPG... Digo, estou tratando de algo que aconteceu há cerca de 20 anos, eram meados dos anos 90. A minha memória não é a mesma faz tempo, mas recontar aquelas aventuras é algo que pretendo fazer, na medida do (im)possível. Nestes últimos meses tenho me empolgado bastante em exercitar escrita usando RPG, tendo como inspiração autores como George R.R. Martin e Eduardo Spohr, e lendo sobre obras como Record of Lodoss War. Como as lacunas da memória não me permitem exatidão, ocasionalmente eu vou precisar preencher os acontecimentos com algumas liberdades narrativas. Tá valendo.
Ofereço esta postagem ao Robim, amigo desde a infância, com quem descobri os RPG. 
MWXS
>>>

quinta-feira, 22 de junho de 2017

DIÁRIOS DE CAMPANHA: O JOGO DOS DRAGÕES #05

O COVIL DOS KOBOLDS: PARTE 5
Partida jogada em 17.junho.2017
ANTERIORMENTE
O draconato paladino Barahash, o senhor da guerra Heidy e o halfling Ander se mobilizaram para lidar contra os problemas na Estrada do Rei, gerados pelos kobolds que infestam a Floresta do Manto. Reidy tentou conseguir suporte com seu antigo tutor, Ivo Markelhay, membro da família governante de Queda Escarpada. Barahash procurou o anão Grundelmar, sacerdote de Pelor responsável pela Casa do Sol, templo de Pelor. Com o final do ano se aproximando, Queda Escarpada estava em plenos preparativos para os festejos do Dia da Passagem. Era essencial para o comércio da vila que o problema com os kobolds fosse resolvido. 
PERSONAGENS JOGADORES
  • Barahash, draconato paladino de Bahamut (Enivas): egresso das terras ao sul do Vale Nentir, Barahash viajou para levar glória e justiça à região fronteiriça do norte. 
  • Reidy Naerinth, senhor da guerra (Takashi): um membro da baixa nobreza de Queda Escarpada. Filho da Casa Naerinth, Reidy busca alcançar os favores dos governantes da cidade para que ele próprio conquiste seu lugar no mundo. 
PERSONAGENS DO MESTRE
  • Ander Rio Célere, halfling ladino: um jovem espirituoso nascido numa família de mercadores, deixou o conforto do lar para viajar pelo Vale Nentir em busca de pessoa e lugares interessantes para conhecer. 
DIA 30 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, VILA DE QUEDA ESCARPADA
Apesar dos transtornos causados pelos kobolds, Queda Escarpada estava movimentada devido aos preparativos para o Dia da Passagem, uma semana entre os anos, que comemora o final do ano corrente e o início do próximo.
Enquanto os aventureiros refletiam sobre seu próximo passo, tiraram um dia para outras atividades. Reidy ajudou no treinamento de um dos sobrinhos do nobre Ivo Markelhay e Barahash resgatou a vítima de um assalto à uma pequena dirigência saqueada na Estrada do Rei. 
DIA 31 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO 
Reidy é convocado por Faren Markelhay, Lorde Protetor de Queda Escarpada, que resolveu chamá-lo pelas recomendações de seu primo, Ivo. Faren ouviu que o senhor da guerra estava se mobilizando contra os kobolds da Floresta do Manto e resolveu reforçar a importância desta missão para a vila. Concedeu alguns recursos para auxiliar Reidy, além da promessa de recompensa. 
Enquanto isso Barahash encontrou Grundelmar, o anão sacerdote de Pelor tinha muito interesse em descobrir mais sobre a seita de Tiamat que estaria oculta entre os habitantes de Queda Escarpada e ajudou o draconato com algumas poções mágicas de cura. 
Horas depois, Reidy, Barahash e Ander se encontraram na Cervejaria Lua Azul para planejar sua empreitada e resolveram arriscar a exploração no dia seguinte: fazer com que os kobolds debandem e tentar descobrir a veracidade da informação de que haveria um dragão branco os liderando. 
DIA DA PASSAGEM 
Os habitantes de Queda Escarpada estavam comemorando o início de um novo ano, mas os aventureiros se preocupavam com a missão que teriam que realizar, trataram de encarar as longas horas até a Floresta do Manto. 
Ao final da tarde, antes de alcançarem o ponto da Estrada do Rei onde deveriam adentrar a floresta, tiveram um encontro suspeito com um grupo acampado na beira do caminho. Após algumas trocas de palavras, os viajantes ficaram desconfiados, mas seguiram adiante. 
O trio sabiamente não quis adentrar a floresta durante à noite e com receio em relação aos homens que encontraram anteriormente, avançaram um pouco mais na estrada, encontrando um bom ponto para se ocultar e vigiar, enquanto passavam à noite. 
Infelizmente sua desconfiança se mostrou verdadeira, pois os aventureiros acabaram sofrendo um ataque repentino do grupo que haviam encontrado na estrada algumas horas antes! 
Reidy, que estava vigiando, foi pego de surpresa e não conseguiu alertar seus companheiros a tempo de se prepararem. O ataque foi fulminante! Entre o bando, havia um homem enorme e forte, manejando um poderoso machado de duas mãos que foi usado para derrubar Barahash e ferir Reidy gravemente. Os demais assaltantes, armados com porretes, derrotaram o senhor da guerra... A última coisa que viram foram os últimos atos de resistência do halfling Ander, tentando salvar seus companheiros mesmo diante da superioridade dos oponentes. 
Foi naquela noite terminaram as aventuras daqueles três homens: o draconato paladino de Bahamut, Barahash. O senhor da guerra Reidy Naerinth e o halfling ladino Ander Rio Célere. Antes de partirem, os bandidos roubaram os medalhões com a imagem de Bahamut que Barahash e Reidy carregavam. 
— O Mestre Armos vai ficar feliz em aceitar isto como prova de que resolvemos o problema dele. 
FIM 
PONTOS DE EXPERIÊNCIA DISTRIBUÍDOS 
  • Diários de Campanha: 100 XP (Reidy); 
  • Total de Pontos de Experiência: 100 XP (50 para cada). 
Imagem: MWXS
Imagem: Enivas
Imagem: Enivas
>>>

segunda-feira, 5 de junho de 2017

DIÁRIOS DE CAMPANHA: O JOGO DOS DRAGÕES #04

O COVIL DOS KOBOLDS: PARTE 4
Partida jogada em 3.jun.2017
ANTERIORMENTE
Barahash e Ander foram até o Covil dos Kobolds para retomar uma peça de escamas de dragão pertencente ao ferreiro Teldorthan Dente de Ferro. Ao invadir a toca das criaturas, tiveram que lidar com um pequeno e primitivo culto à Tiamat, Rainha dos Dragões Cromáticos. Passando por um grande perigo, foram salvos graças ao auxílio do mago Lamor Venus. Ao final da luta, a dupla resolveu descançar, mas o conjurador tinha seus próprios planos: resolveu subjugar um dos kobolds e levá-lo para Queda Escarpada. O alerta de Barahash e Ander não o fizeram mudar de ideia e enquanto retornava sozinho pela Floresta do Manto, Lamor foi emboscado por um bando das criaturas. Felizmente, o draconato e o halfling haviam resolvido devolver o favor prestado pelo mago e o seguiram, salvando a pele de Lamor.
PERSONAGENS JOGADORES
  • Barahash, draconato paladino de Bahamut (Enivas): egresso das terras ao sul do Vale Nentir, Barahash viajou para levar glória e justiça à região fronteiriça do norte. 
  • Reidy Naerinth, senhor da guerra (Takashi): um membro da baixa nobreza de Queda Escarpada. Filho da Casa Naerinth, Reidy busca alcançar os favores dos governantes da cidade para que ele próprio conquiste seu lugar no mundo.
PERSONAGENS DO MESTRE
  • Ander Rio Célere, halfling ladino: um jovem espirituoso nascido numa família de mercadores, deixou o conforto do lar para viajar pelo Vale Nentir em busca de pessoa e lugares interessantes para conhecer. 
DIA 26 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, FLORESTA DO MANTO
Depois que derrotaram os kobolds e salvaram Lamor, Barahash resolveu que a melhor opção seria retornar para Queda Escarpada. O grupo estava fadigado e não suportaria mais ataques dos kobolds. Criaturas pequenas, mas sua quantidade na Floresta do Manto se mostrou alarmante para um grupo tão pequeno de aventureiros.
O sol-alto pairava no céu quando alcançaram a Estrada do Rei. Sair debaixo das sombras daquelas árvores foi um alívio para seu espírito. Logo trataram de deixar a Floresta do Manto para trás, seguindo uma viagem cansativa para o leste, mas felizmente sem imprevistos. O trio alcançou o Rio Nentir e chegou à Queda Escarpada no meio da noite.
Enquanto o mago Lamor se dirigiu à Torre do Heptarca para encontrar Nimorazan, carregando o kobold capturado, Barahash e Ander foram relatar as más notícias para o ferreiro Teldorthan.
DIA 28 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, QUEDA ESCARPADA
Na distrito da Cidade Alta, O senhor da guerra Reidy Naerinth é procurado por Ivo Markelhay, membro da família governante de Queda Escarpada e seu antigo tutor. O comércio da cidade começava a ser afetado devido aos ataques dos kobolds na estrada e Ivo levou o nome de Reidy até o Lorde Protetor, como alguém capaz de lidar com o problema.
Aceitando tal responsabilidade como uma oportunidade para iniciar boas relações diretamente com o senhor de Queda Escarpada, Reidy começou buscando aliados. O senhor da guerra foi informado que haviam dois aventureiros recém egressos do Covil dos Kobolds, um draconato e um halfling. Achou um ótimo passo para começar.
Mais tarde, na Cidade Baixa, Reidy encontrou os dois na Cervejaria Lua Azul. A dupla estava refletindo sobre seus próximos passos e a boa bebida feita por Kemara Garrafa Parda amenizava o sabor amargo do fracasso haviam sofrido.
Reidy apresentou seu objetivo comum à Barahash e Ander, mas sendo ainda um grupo reduzido, quiseram convocar Lamor para juntar-se a eles e retornarem ao Covil. O trio formado rumou até a Torre do Heptarca para tratar com Nimorazan, o Verde, e ter notícias do mago.
O velho mago lhes disse o que haviam descoberto com o kobold capturado: as criaturas estavam agitadas pela presença de um dragão branco na floresta, o monstro havia tomado a liderança de uma das tribos dos kobolds que estavam motivados a agradar seu "mestre" com as riquezas saqueadas na estrada.
A conversa fez com que Nimorazan confessasse uma de suas preocupações recentes: ele desconfiava que houvessem membros da sociedade de Queda Escarpada envolvidos num culto secreto à Tiamat. A presença de um dragão na região poderia ser um agravante à situação, se estes cultistas se aliassem ao monstro.
Nimorazan prometeu ao grupo que iria falar com Lamor para que este os ajudasse em sua missão, pedindo que os aventureiros lhe informassem do resultado de sua demanda.
DIA 29 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, QUEDA ESCARPADA
Os aventureiros confabularam sobre seu objetivo. Enfrentar um dragão branco, mesmo jovem, não seria um feito fácil. Precisavam se preparar.
O trio buscou suporte pela cidade. Reidy se reuniu novamente com Ivo, que intercederia por seu antigo pupilo junto ao Lorde Protetor. Barahash se dirigiu à Casa do Sol, templo de Pelor em Queda Escarpada. O draconato falou dom o anão Grundelmar, responsável pelo templo. Ander por sua vez foi até o Cais Inferior, tratar com sua família, os Rio Célere, um próspero clã de mercadores que atuam no Rio Nentir.
A interação com Reidy fez com que Barahash lembrasse saudoso dos seus antigos laços familiares. Durante breves instantes o draconato foi tomado por um sentimento reconfortante que o fez esquecer das tragédias que o fizeram rumar para as terras do norte.
DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS DE EXPERIÊNCIA
  • Interlúdios Dramáticos: 200 XP; 
  • Total de XP distribuídos: 200 XP (100 XP para cada). 
CONTINUA...
>>>

quarta-feira, 24 de maio de 2017

RABISCANDO: ARTE DE CAPA PARA SUPER DRIVE

Saudações joviais,
Em 2011, inspirado no meu gênero favorito de vídeo games, o beat'em up (e numa noite de jogatina com o compadre Khan), eu resolvi desenvolver o SUPER DRIVE (batizado inicialmente de SUPER GENESIS), um RPG inspirado neste tipo de game. Na época até cheguei a realizar alguns playtests bem divertidos nos tempos dos eventos do grupo RPG Pará na livraria Saraiva Megastore do Shopping Boulevard.
Vários meses depois eu fiz um esboço para a capa do RPG, baseado em Streets of Rage, um dos meus preferidos. Esse esboço ficou esquecido entre outros rascunhos durante anos e só recentemente eu esbarrei com ele e resolvi finalizá-lo, utilizando do estilo que tenho exercitado atualmente, misturando traço cartum com o uso de hachuras.
Segue o resultado.
Arte: MWXS
O curioso é que parando para pensar, percebi que a arte usa dois personagens muito importantes para mim: Johnny BLODIA (no centro) e Scorpion (à direita), que foram os primeiros personagens que eu e meu compadre Robim criamos (respectivamente) para jogar RPG, em meados dos Anos 90. Na época jogávamos no improviso, nem conhecíamos sistemas oficiais de jogo.
Foi uma lembrança boa de resgatar.
Até penso que seria legal aproveitar o barco para voltar ao desenvolvimento do SUPER DRIVE. Quem sabe? Os deuses sabem.
Bons ventos.
MWXS
>>>

quarta-feira, 17 de maio de 2017

RABISCANDO: PUPA SALGUEIRO

Na ótima comunidade Retro-Gamers Brasil, no Google+, mensalmente são feitas enquetes temáticas homenageando personagens e jogos diversos dos vídeo games das antigas. Eu acho uma boa oportunidade para tentar tirar um pouco das teias de aranhas nos dedos e rabiscar. Principalmente atualmente que tenho tido vontade de desenvolver um estilo cartunesco e misturar com técnicas de hachuras.
Há uns meses a personagem escolhida foi a Pupa Salgueiro do vídeo game Rage of Dragons da SNK. Uma jovem brasileira capoeirista. Eu não conhecia o game, mas aproveitei para rabiscar algo. Faz um tempo que fiz o desenho, mas estou postando aqui para divulgar a comunidade e além do mais, é interessante conhecer mais uma personagem tupiniquim no mundo dos games, principalmente num desenvolvido pela SNK, que teve gerações de fighting games muito bem feitos!
Afinal talvez seja uma boa ideia começar a publicar meus exercícios de desenho aqui também.
Bons ventos.
MWXS
Arte: mikemwxs
>>>

domingo, 7 de maio de 2017

RPGISTA PIRANGUEIRO (RPG GRATUITOS)

Eu costumo dizer que tem tanto material disponível de graça (ou a preço baixo) que recorrer a pirataria é (além de imoral) é desnecessário. Então estou sempre cavucando material on-line gratuito e na medida do possível divulgando o link pros colegas da RPGesfera. Resolvi que nada mais adequado do que reservar um espaço aqui no blog onde eu possa reunir os links onde estes materiais podem ser encontrados.
Acho importante por que 1) Tira a imagem de que se precisa necessariamente gastar dinheiro para jogar RPG; 2) Incentiva a produção deste tipo de material (gratuitamente); e 3) Pô, sabe aquele seu amigo que mora numa cidade do interior e quer conhecer o jogo? Passa o link pra ele com um RPG destes e bam! Mais uma sementinha RPGista plantada! :-D
Claro, este tipo de lista não é novidade, enfim, esta isto é apenas eu fazendo minha parte na party. Entre os próprios módulos básicos e versões resumidas (fastplay), o material é bem diverso e vale a garimpada para quem estiver curioso.
Tudo posto, eis.
Obs: essa lista vai ser atualizada conforme eu for encontrando (e lembrando) mais links relevantes. Em alguns dos sites indicados será necessário procurar o botão específico para download ou que se tenha conta na loja para o download (sem custos). Tentei encontrar as fontes mais oficiais possíveis e estou aberto a correções e sugestões.
Bons ventos.
MWXS
RPG NACIONAIS
RPG ESTRANGEIROS

segunda-feira, 20 de março de 2017

DIÁRIOS DE CAMPANHA: O JOGO DOS DRAGÕES #03

O COVIL DOS KOBOLDS: PARTE 3
Partida jogada em 18.mar.2017
ANTERIORMENTE
O mago Lamor, de Queda Escarpada, foi até o Covil dos Kobolds em busca de descobrir o motivo que estava levando as criaturas a saírem da Floresta do Manto para atacarem as caravanas que viajavam pela Estrada do Rei. O draconato paladino Barahash e o ladino halfling Ander, já no Covil, enfrentaram um bando das criaturas que infestam a floresta, Barahash foi derrotado pelo líder dos kobolds, que estava celebrando um rito em nome de Tiamat, a Rainha dos Dragões Cromáticos.
PERSONAGENS DOS JOGADORES
  • Barahash, draconato paladino de Bahamut (Enivas): egresso das terras do sul, Barahash viajou ao Vale Nentir para levar a justiça de Bahamut e a grandeza de sua casa até as regiões fronteiriças do norte;
  • Lamor Vênus, humano mago (Croupier): depois de auxiliar o resgate de uma camponesa usando seus conhecimentos sobre a região, a curiosidade e estudos de Lamor o levaram a conhecer a arte mágica e iniciar uma vida como aventureiro.
PERSONAGENS NÃO JOGADORES
  • Ander Rio Célere, halfling ladino: um jovem espirituoso nascido numa grande família de mercadores, Ander deixou o conforto do lar para viajar através do Vale Nentir em busca de lugares e pessoas interessantes para conhecer;
DIA 26 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, FLORESTA DO MANTO, COVIL DOS KOBOLDS
Ander se encontrava em apuros enquanto enfrentava os dois kobolds remanescentes. As criaturas haviam ganhado confiança ao derrotar o draconato e acharam que o halfling não seria difícil de lidar.
Foi quando o mago Lamor, chegou ao local e embora resoluto, resolveu se envolver na luta. Usando magias gélidas, afugentou o líder kobold para o interior do Covil.
Com Barahash bastante fadigado, mas desperto, a dupla de aventureiros tentou se recompor. Precisavam descansar mas com a fuga do sacerdote dos kobolds, temeram serem atacados novamente, então providenciaram repouso fora do Covil, entre as ruínas do antigo castelo que havia naquele sobre aquele lugar.
Lamor capturou um dos kobolds derrotados e resolveu levá-lo até Nimorazan, em Queda Escarpada, mesmo sob o pedido insistente de Ander para que ficasse e os ajudasse (e o aviso de que apesar do golpe de sorte na ida até as ruínas, retornar sozinho através da floresta seria perigoso), 
Ao observar a partida do mago que havia salvado sua vida, Barahash se lembrou de uma antiga batalha em que um companheiro de ordem que havia auxiliado em seu treinamento havia morrido porque Barahash não estava lá para ajudá-lo quando ele precisou. O draconato não precisou de muitos argumentos para convencer seu companheiro halfling para irem atrás de Lamor e o guiarem para fora da floresta.
Enquanto o mago tentava atravessar a mata, tentando usar de artifícios mágicos para ocultar sua presença na floresta, Lamor foi perseguido e atacado por kobolds. Com a diferença dos números, os monstros estavam em vantagem. E apesar de algumas mágicas potentes, o mago foi derrotado.
De repente um grito de Ander interveio quando as criaturas estavam prestes a matar Lamor e uma investida determinada de Barahash varreu os kobolds da luta. A dupla pagou sua dívida para com o mago, que uma hora atrás havia lhes salvado as vidas.
>>>
DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS DE EXPERIÊNCIA
  • Encontros: 600 XP;
  • Interlúdio Dramático: 100 XP (Barahash);
  • XP distribuídos: 700 XP (233 XP para cada).
Imagem: Enivas
Imagem: Enivas
>>>

sexta-feira, 10 de março de 2017

DIÁRIOS DE CAMPANHA: O JOGO DOS DRAGÕES #02

O COVIL DOS KOBOLDS: PARTE 2
Partida jogada em 25.fev.2017
ANTERIORMENTE
Na vila de Queda Escarpada, o draconato paladino Barahash e o halfling ladino Ander foram contratados pelo anão ferreiro Teldorthan para que recuperassem uma peça de escamas de dragão que foi roubada pelos kobolds que habitam a Floresta do Manto, enquanto suas mercadorias viajavam pela Estrada do Rei, vindas de Abrigo do Inverno, ao noroeste. A dupla então adentrou o lugar conhecido como Covil dos Kobolds, ruínas antigas localizadas no interior da floresta, onde as criaturas estão alojadas.

PERSONAGENS DOS JOGADORES
  • Barahash, draconato paladino de Bahamut (Enivas): egresso das terras do sul, Barahash viajou ao Vale Nentir para levar a justiça de Bahamut e a grandeza de sua casa até as regiões fronteiriças do norte;
  • Lamor Vênus, humano mago (Croupier): depois de auxiliar o resgate de uma camponesa usando seus conhecimentos sobre a região, a curiosidade e estudos de Lamor o levaram a conhecer a arte mágica e iniciar uma vida como aventureiro.
PERSONAGENS DO MESTRE
  • Ander Rio Célere, halfling ladino: um jovem espirituoso nascido numa grande família de mercadores, Ander deixou o conforto do lar para viajar através do Vale Nentir em busca de lugares e pessoas interessantes para conhecer;
  • Teldorthan Dente de Ferro, anão ferreiro: ferreiro e armeiro de Queda Escarpada, Teldorthan é um camarada velho e tagarela que passa seu tempo com um cachimbo enfiado entre os dentes e trocando histórias com seus clientes, enquanto seus aprendizes (dois dos quais são seus filhos) fazem todo o trabalho. Entretanto, não se engane: Teldorthan é um mestre armeiro e sob sua supervisão seus aprendizes fazem um trabalho de qualidade excepcional.
DIA 25 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, VILA DE QUEDA ESCARPADA
O DIA ANTERIOR.
Convocado pelo velho amigo Nimorazan, O Verde, o mago Lamor foi convidado para entrar numa investigação sobre os fatos recentes que atiçaram a curiosidade do velho sábio. Nimorazan deseja descobrir a causa do que tem levado os kobolds da Floresta do Manto a ficar mais agressivos e atacarem os viajantes na Estrada do Rei. Em troca da investigação de Lamor, Nimorazan irá manter o acordo de troca de favores que ambos possuem entre si.
Através de Nimorazan, Lamor descobriu que havia uma dupla de aventureiros contratados pelo ferreiro de Queda Escarpada, o anão Teldorthan Dente de Ferro. A companhia seria uma ótima ideia, mas infelizmente os dois indivíduos, um draconato e um halfling, já haviam pegado a Estrada do Rei rumo ao oeste. 
Só restou a Lamor começar sua viagem solitária até a Floresta do Manto, onde o Covil dos Kobolds está localizado. Torcendo para que conseguisse alcançar os dois aventureiros que haviam partido algumas horas antes.
DIA 26 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, FLORESTA DO MANTO
Os minutos dentro da Floresta do Manto foram preocupantes. A solidão era uma desvantagem dentro daquela mata apinhada pelos pequenos monstros. Para encontrar a localização do Covil dos Kobolds, Lamor usou suas lembranças de um velho mapa que outrora havia consultado na biblioteca de Nimorazan. Infelizmente a preocupação de encontrar o lugar se somou a preocupação de ter que ocultar sua presença das criaturas da mata e no processo teve que se apressar, sofrendo alguns machucados pelo caminho quando finalmente encontrou as velhas ruínas do velho castelo que havia se transformado no Covil dos Kobolds. Sabendo que provavelmente a parte subterrânea da construção havia sobrevivido às intempéries do tempo e da natureza, Lamor não demorou para encontrar sua entrada.
DIA 26 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, FLORESTA DO MANTO, COVIL DOS KOBOLDS
Após Barahash salvar Cliff do golpe letal e traiçoeiro que havia sofrido, o grupo avançou ainda mais para o interior do Covil. Descendo uma escadaria estreita, o paladino ouviu um rito cerimonial realizado pelas criaturas… Apesar do halfling e do humano presentes não terem entendido seu significado, para o draconato o idioma dracônico no qual as orações dos kobolds eram feitas é reconhecível. Barahash treme quando reconhece a divindade para qual os ritos eram devotados: Tiamat, a Rainha dos Dragões Cromáticos e a inimiga de seu deus patrono, Bahamut! 
Barahash e Ander não exitaram em se lançar sobre os kobolds, mas apesar de conseguirem derrotar várias das criaturas, uma série de golpes de azar e o poder do kobold sacerdote dracônico que realizava o rito, acabaram por derrubar o paladino, deixando Ander sozinho e orando para que Avandra lhe favorecesse com boa sorte para escapar vivo dali. 
DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS DE EXPERIÊNCIA
  • Diários de campanha: 100XP (Barahash);
  • Interlúdios dramáticos: 200XP (Barahash, Lamor);
  • Total de XP distribuídos: 300XP (100XP para cada).
Imagem: Enivas Jr.
CONTINUA...
>>>

sábado, 18 de fevereiro de 2017

DOWNLOADS: GRIDS DE COMBATE (QUADRADOS)

O valor do uso de grids de combate durante partidas de RPG não são unanimes e mesmo entre os que usam existe a preferência entre aqueles que gostam mais dos quadriculados aos hexagonados (???). Alguns jogos vem com o tipo especificado em suas regras, como o D&D (que usa quadrados) ou GURPS (que usa hexágonos).
Imagem: Mikemwxs
Independente do uso prático em conjunto com a mecânica do jogo, principalmente para os grupos que preferem partidas com combate tático, pessoalmente acho muito útil ter um grid impresso e plastificado onde pode-se rabiscar facilmente com um marcador para quadro branco, indicando disposição de lugares ou posições quando a imaginação precisa de um pequeno empurrão.
Resolvi fazer um para uso próprio e estou aproveitando para upar os arquivos PDF dos grids, que podem ser baixados nos links a seguir, nos formatos A4 e A3 no padrão de 2,5 cm (aproximadamente 1 pol). Em breve preparo os grids hexagonais para disponibilizá-los aqui no blog.
Espero que o material seja útil e que os deuses os favoreçam!
Bons Ventos!
MIKEMWXS
>>>

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

DIÁRIOS DE CAMPANHA: O JOGO DOS DRAGÕES #01

O COVIL DOS KOBOLDS: PARTE 1
Partida jogada em 25.dez.2016

ANTECEDENTES


Durante a viagem de suas terras natais mais ao sul na direção da região fronteiriça conhecida como Vale Nentir, o draconato Barahash conheceu Ander Rio Célere, um halfling aventureiro membro de uma conhecida família de mercadores espalhada pelo vale, com quem criou uma relação de amizade e aventuras. Juntos viajaram subindo a corrente do Rio Nentir até alcançarem a vila de Queda Escarpada, onde resolveram estabelecer morada por algum tempo.

PERSONAGENS DOS JOGADORES
  • Barahash, draconato paladino de Bahamut (Enivas): egresso das terras do sul, Barahash viajou ao Vale Nentir para levar a justiça de Bahamut e a grandeza de sua casa até as regiões fronteiriças do norte.
Jogo dos Dragões - Personagens v1.jpg
PERSONAGENS DO MESTRE
  • Ander Rio Célere, halfling ladino: um jovem espirituoso nascido numa grande família de mercadores, Ander deixou o conforto do lar para viajar através do Vale Nentir em busca de lugares e pessoas interessantes para conhecer.
Jogo dos Dragões - Personagens do Mestre v1.jpg
DIA 25 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, VILA DE QUEDA ESCARPADA

Alguns meses se passaram desde que Barahash e seu camarada Ander Rio Célere escolheram passar um tempo em Queda Escarpada. Ambos encontraram na Cervejaria Lua Azul um lugar confortável para saborear a cerveja de Kemara Garrafa Parda, provavelmente a melhor mestra cervejeira da região central do Vale Nentir.

Enquanto o draconato petiscava seu desjejum naquela manhã fria, Ander chegou à taverna na companhia do anão Teldorthan Dente-de-Ferro, ferreiro e armeiro da vila, ele buscava o auxílio dos dois aventureiros, pois uma caravana comercial egressa de Abrigo do Inverno havia sido assaltada pelos kobolds que infestam a Floresta do Manto e dentre as mercadorias perdidas estava um carregamento que Teldorthan estava à espera, em especial uma peça de couro de dragão com o qual ele pretendia confeccionar uma brunea. Caso recuperassem sua mercadoria, como recompensa o anão lhes forneceria alguns itens de sua forjaria além de 400 peças de ouro.

Barahash e Ander aceitaram ajudar Teldorthan e resolveram se preparar para a viagem. Os aventureiros contrataram Cliff, um guia que estava junto à caravana durante o ataque e que lhes levaria até o lugar conhecido como Covil dos Kobolds, uma antiga mansão em ruínas localizada dentro da Floresta do Manto e onde provavelmente as criaturas resolveram tomar como sua toca. Feito isso, pegaram o caminho da Estrada do Rei, acompanhando o sol poente.

Já era tarde da noite quando os viajantes alcançaram a Floresta do Manto, ao sul das vastas planícies cinzentas que os cercavam, puderam observar a grande mancha escura. Prevendo que não seria uma boa ideia entrar na mata apinhada de kobolds em meio à escuridão, o grupo acampou para esperar a aurora.


Vale Nentir - Cercanias de Queda Escarpada.jpg

DIA 26 DO MÊS DÉCIMO SEGUNDO, FLORESTA DO MANTO

Com o nascer do sol a Floresta do Manto se revelou como uma verdejante concentração de árvores cujas copas cobriam o solo com suas sombras, deixando apenas alguns raios de luz caírem em seu interior como gotas de chuva, iluminando as trilhas serpenteantes entre a vegetação.

Para alcançar o Covil dos Kobolds no interior da floresta os aventureiros tiveram que enfrentar as criaturas que tomaram a mata como seu território. Após uma escaramuça não tardaram para chegar às ruínas do que outrora fora a mansão de algum nobre importante e que havia sido transformada nos escombros que guardavam a entrada da toca dos monstros, as antigas dependências subterrâneas da construção destruída.


Jogo dos Dragões - Monstros v1.jpg

Ao descer uma pequena escadaria alertaram algumas das criaturas que estavam de guarda e Cliff quase foi morto por um ataque traiçoeiro dos kobolds, não fosse os poderes de cura de Barahash.

DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS DE EXPERIÊNCIA
  • Encontros: 400XP;
  • Interlúdios Dramáticos: 100XP (Barahash);
  • Total de XP distribuídos: 500XP (250XP para cada).

A SEGUIR


“O Altar de Tiamat”

>>>