sexta-feira, 7 de novembro de 2008

3D&T - Regra opcional: Poder de Luta!

Há muito tempo, numa antiga Dragão Brasil, foi publicada uma materia sobre Dragon Ball Z contendo regras para a medida do poder de luta do personagem.

Publíco aqui então minha pequena, porém significativa, contribuição para a expansão destas regras:

Muitos personagens são capazes de medir o potêncial de combate de seu oponente, esta característica chamasse "Poder de Luta" e pode ser medida através de alguns aparelhos, ou até mesmo através dos sentidos de pessoas treinadas.

O Poder de Luta pode ser estimado através das seguintes condições:
  • Cada ponto de Característica equivale a 1 ponto de Poder de Luta.
  • Cada ponto gasto em vantagens que influênciem em combate equivale a 1 ponto de Poder de Luta.
  • Cada ponto recebido por desvantagens que afetam combate diminuem o Poder de Luta em 1 ponto.
  • Cada Ponto de Vida e Ponto de Magia equivale a 1 ponto de Poder de Luta.
Este valor é múltiplicado de acordo com a Escala de Poder do personagem (x1 para Ningen, x10 para Sugoi, x100 para Kiodai e x1000 para Kami).

Existirá então dois valores para o Poder de Luta: o Normal e o Atual. O Poder de Luta Normal será medido em condições normais, através do cálculo direto explicado acima, quando o personagem se encontra em plena forma.
O Poder de Luta Atual será o nível medido imediatamente, quando o nível normal poderá ser alterado pela perda ou ganhos de PVs e PMs, ou pelo uso ou limitações de algumas vantagens e desvantagens condicionantes. Este nível de poder poderá então variar conforme o combate for se desenrolando. Contá-lo será similar a contar os PVs e PMs durante a aventura.

As vantagens e desvantagens que não irão influênciar no Poder de Luta normal e que poderão surgir em algumas situações, aumentando ou diminuindo o Poder de Luta Atual são aquelas que dependem de algumas circunstâncias para afetarem o combate. Como um exemplo, podemos citar o Código de Honra do Combate: Em condições normais ele não diminuirá o cálculo do Poder de Luta, mas quando estiver enfrentando um oponente em condições de inferioridade, ele se limitará, não despertando seu poder total, o que irá poderá ser contabilizado em seu Poder de Luta Atual. Vantagens e Desvantagens como Área de Batalha, Poder Oculto, Separação, Assombrado, Fúria, entre outras podem ser consideradas nestas situações.

Percebam também que agora poderemos levar também em consideração o Poder de Ataque e o Poder de Defesa como níveis de poder também, medidos diretamente do resultado dos dados.

Minha intensão aqui é tornar o Poder de Luta parte do jogo, não somente em regras, mas no próprio clima das aventuras, um elemento a mais para a dramatiticidade dos combates e também uma ferramenta para os mestres poderem estímar o nível de desafio de PCs e NPCs.
Talvez os valores resultantes aqui fiquem diferentes de referências obtidas em outros textos ou mídias, como no desenho Dragon Ball ou na própria materia original (DB 59, de 2000) de onde me inspirei, mas a idéia não é fazer imitações e sim criar um novo padrão para o Poder de Luta no 3D&T Alpha.

É isso, acertos críticos a todos!

-MWXS

domingo, 2 de novembro de 2008

3D&T - Tropa dos Lanternas Verdes: O Anel do Poder



Este incrível artefato é considerado a arma mais poderosa do universo!


Forjado pelos Guardiões do Universo e entregues aos membros da Tropa dos Lanternas Verdes, seres de honra, vontade e coragem inabaláveis, para a proteção da ordem.



Os poderes destes anéis provém da bateria central localizada no planeta Oa, no centro do universo. Esta bateria é constituída da força de vontade cósmica, de cor esverdeada.


Quanto maior a vontade do portador de um Anel do Poder, maior será sua capacidade ao usá-lo. Com o anel, pode-se criar qualquer coisa mentalmente: objetos, veículos e armas, ainda que estes não obedeçam os mesmos princípios físicos, como possuírem todas as peças que deveriam os compor, funcionam perfeitamente. O anel também traduz todas os idiomas conhecidos no universo, concede poderes mentais limitados, realiza análises sensoriais, atinge velocidade interplanetárias, projeta um campo de força que protege o usuário de ataques e fornece suporte de vida contra rigores climáticos (inclusive vácuo espacial). É possível reproduzir qualquer forma de energia com o anel: eletricidade, fogo, frio, radiação, gravidade, magnetismo, etc. Essas energias podem ser projetadas sob qualquer forma imaginada pelo usuário, mas todas as manifestações criadas sempre possuirão cor verde.


Outrora todos os anéis possuíam apenas uma fraqueza: a cor amarela. Simplesmente não surtiam efeito contra objetos e energias com esta coloração. Esta fraqueza existía quando havia uma impureza na Bateria Central de Oa: Parallax, uma entidade constituída do medo cósmico, (feita de energia amarela) que fora aprisionada dentro da bateria há milênios pelos Guardiões do Universo. Atualmente, Parallax não se encontra mais na bateria em Oa, e a fraqueza contra o amarelo só ocorre quando a força de vontade ao controlar os anéis é limitada, ou encontra-se enfraquecida. O que ocorre na maioria das vezes com os novatos da Tropa.
O Anel também pode ser temporariamente desativado, caso o Código dos Guardiões seja desrespeitado. Como exemplo, quando algum Lanterna tenta usar o poder do Anel para matar, este alertará: "Lanterna Verde tentando empregar força letal. Ação ilegal registrada. Cortando fluxo energético. Anel travado". Via de regra, os efeitos dos Anéis não são letais, ainda que possam ser devastadores.
Um Anel do Poder também deve ser recarregado constantemente, geralmente em uma rotação planetária de onde o Lanterna é nativo. No caso da Terra, em 24 horas. Mas o Anel também pode ficar sem carga durante o uso contínuo e extremo, o que é raro, mas possível.


Após a morte de um lanterna verde, o Anel irá buscar outro usuário em seu setor espacial designado. Estes Setores dividem o universo em 3600 áreas, sendo que cada um destes setores é protegido por dois Lanternas Verdes. O Anel buscará aquele de maior força de vontade e honra que encontrar, seres que não conhecem o medo.


Ao iniciar a procura, com a morte do Lanterna, o anel acusará:


"Relatório anelar: Óbito de Lanterna Verde (número do setor espacial). Iniciada busca por substituto sapiente no setor espacial (número do setor)"


Ao encontrar um novo Lanterna em potencial, o Anel acusará:


"(Nome do escolhido). Você tem a habilidade de superar um grande medo. Eu sou o Anel do Poder enviado pelos Guardiões do Universo. Agora nós viajaremos para Oa, lá você será treinado para se tornar um membro da Tropa dos Lanternas Verdes. Eu estou programado para responder seus comandos mentais, desde que eles não infrinjam o Código dos Guardiões".


O responsável por guiar os Anéis aos novos recrutas é Mogo, um planeta consciente, ele próprio um membro da Tropa.



3D&T: Aquele que possuir um Anel do Poder terá os seguintes poderes por ele concedido, qualquer coisa pode ser usada para manifestar estas vantagens, a imaginação é o limite, mas sempre serão materializadas em cores esverdeadas:
  • Eleva a escala de poder de ningen para sugoi
  • Vôo
  • Membros elásticos
  • Adaptador
  • Telepatia
  • Sentidos especiais
  • Toque de energia
  • Suporte de Vida (nova Vantagem, vide marcador "3D&T")
  • Voo Transluminal (nova Vantagem, vide marcador "3D&T")

Outros poderes também mencionados no texto podem ser usados, como suporte de vida, velocidade inter-planetária, etc.


-MWXS

sábado, 4 de outubro de 2008

Golpe Fulminante! - A Máscara de Cervantes


Há tempos, nos dias em que os mares do caribe eram infestados por piratas de diversas nações do mundo, e grandes tesouros foram perdidos sob o manto azul daquelas águas profundas, ouviu-se pela primeira vez o nome do homem chamado Cervantes... ou ao menos do primeiro guerreiro a se chamar assim, e ficar conhecido por seu incrível poder e sanguinolência.

Sua aparência sinistra, usando uma máscara de crânio humano, soturnos trajes negros e uma corrente farpada como arma mortal. Seu corpo é tomado por cicatrizes, das pernas à cabeça.

No passado, sua fragata foi um flagelo para mercadores, exércitos e piratas. Seus flibusteiros saciavam sua sede de ouro, mulheres e rum. Enquanto ele mesmo não tinha interesse por estes assuntos... seu único delírio era a violência, seu único deleite era causar dor, e morte.

Dizem que Cervantes é imortal, mas a verdade difere do que aqueles poucos que conhecem este nome, escrito na historia secreta dos grandes guerreiros do mundo.

Cervantes é o homem que estiver usando aquela lúgubre máscara de crânio humano: seu verdadeiro e nefasto rosto.

Contam as lendas que o primeiro destes homens conhecidos como Cervantes conseguiu a máscara através de um escravo que libertara de um navio escravagista durante um saque, um bruxo africano, que virara seu primeiro imediato durante anos.

A onda de terror espalhada pela nau de Cervantes cessou misteriosamente, sua fragata simplesmente sumiu sem deixar vestígios de seus tesouros e tripulantes. E de seus amaldiçoados comandantes.

Durante os séculos que se seguiram, relatos das aparições de Cervantes foram ocasionalmente sussuradas pelo globo, e desapareciam com igual rapidez e mistério, mas não sem deixar um rastro de sangue por onde sua impiedade passava. Sempre seguido por uma turba de seguidores, sempre vestindo de trajes escuros e portando correntes farpadas, muitas vezes usada como arma.

O homem que vestir esta máscara, possuirá grande poder, no entanto, pagará um alto preço por sua ambição.

O processo é extremamente doloroso: fisicamente e mentalmente. Fios metálicos farpados saem da máscara e rasgam a pele do usuário. Esta tortura envolve dor, derramando sangue e a destruição da mente. No fim, aquele que a vestir ganhará grande poder.

No entanto, este poder demoníaco será desfrutado plenamente por pouco tempo...

Dentro de alguns meses a personalidade do primeiro Cervantes se mesclará à de seu novo corpo. E o hospedeiro mudará seu comportamente, perdendo o interesse por qualquer prazer, e sendo tomado por uma crescente perversidade, que se tornará seu único estímulo. Tornando-se então no novo Cervantes.

3D&T: A máscara eleva a escala de poder do usuário, de ningen para sugoi, e não terá efeito algum sobre alguém que já possua esta escala ou maior.
Uma vez vestida, a mascara irá deformar corpo e mente do usuário, torturando-o através de cabos metálicos saídos de seu interior, que irão desaparecer após o processo, deixando horrendas cicatrizes por toda a pele. O personagem irá adquirir as desvantagens monstruoso e insano: homicída.
Aquele que usar a máscara não a retirará nunca mais, e ela não poderá ser retirada sem a derrota daquele que a estiver vestindo.
O processo de alteração de personalidade é gradual, e estará completo dentro de 3+R meses. Não se trata de uma sobreposição de mentes, mas de uma fusão. A personalidade do primeiro cervantes e a do usuário de sua máscara se tornarão uma nova... carregando características de ambas.

Nenhum Cervantes foi igual ao anterior, a não ser pela única coisa que todos compartilharam:

A maldade do terrível pirata, o primeiro a carregar este nome amaldiçoado.

O homem que deu nome a esta lenda infâme.

-JOHNNY BLODIA

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Ambições Demoníacas II - Parte 3

RETORNO A SANTA MARIA: ALMAS PERDIDAS

Khansteriof Manshax despertara... fadigado, exaurído.

Recordava vagamente da noite anterior, uma lembrança fugídia formada de névoas distantes. Havia sido torturado por Frederico Rincon...

Enquanto homens seguravam fortemente seus braços, era queimado no peito pelas chamas de uma tocha. Dor.

Khansteriof Manshax despertara... e não sabia o que fazer.

>>>

Enquanto Diego Sanchez investigava as plantações da Vila de Santa Maria de Aragão, um lugar dito como assombrado, havia sido surpreendido por um estranho arqueiro. E quando Sanchez achava que ia ser mortalmente atingido pela seta do estranho homem, este o adverte do perigo que o inquisidor está correndo, e salva sua vida, fazendo-o escapar de uma tocaia armada pelo padre Frederico Ríncon.

Diego mostra piedade para com um de seus algozes, e num milagre, o faz sarar de seus ferimentos.

O inquisidor Sanchez é levado para o abrigo de Ruiz Corazon, um mercenário que havia sido contratado pelo inquisidor estudioso Diego de la Roya. Corazon então revela o paradeiro de seu contratante: havia sido capturado a mando de Dom Frederico, e agora se encontrava aprisionado numa cabana próxima.

Os dois homens, tão diferentes, trocam pontos de vista sobre deus e homens. Ruiz confessa estar sendo atormentado pelo demônio, e que este havia o ordenado a resgatar De la Roya... e revela acidentalmente, que o mesmo demônio encomendou a morte do inquisidor. Atormentado, Corazon não enxerga outra escolha para salvar sua mente da insanidade... afinal, como um homem sem fé pode escapar do jugo do demônio?

>>>

Mais uma vez o padre Grego veem a consciencia. Estava sozinho, junto com algo cuja essência era formada do mais puro mal. Imensurável e desconhecido.
Não podería fugir daquele lugar, e sentía aquela presença sinistra se dobrar sobre seu corpo, penetrar em sua carne, se enraizar em seus ossos...
Poder. Seus músculos explodiram e as veias de seu corpo estouraram em fúria. seu corpo sangrava pelos poros, e sua boca queimava, e cada expiraçao era seguida de uma baforada de chamas ardentes e esverdeadas.
Com um movimento bruto quebrara os grilhões que o mantinham preso. Um poderoso tapa derrubou a porta trancada da cela... quebrou os ossos do guarda que o vigiava com um simples abraço.
Khansteriof Manshax vía o mundo a sua volta pelos olhos de outra pessoa. Uma pessoa cruel e sanguinária. Percebía com envergonhado que ele era esta pessoa. Enquanto fugía daquele mosteiro dominado por um padre cheio de desejos obscuros, ambições demoníacas, lembrava da visão do padre que acabara de matar. Seus orgãos internos saltando pela boca enquanto o abdomen e o torax eram esmagados pelo abraço constritor do daquela coisa que se tornara o padre Grego.
Fugíra. E cada passo longe daquele calabouço contruído no subsolo da abadía de Santa Maria de Aragão o afastava daquela essência vil que fazia sues músculos moverem-se com tamanha potência. Pensou em matar o maltdito Frederico Rincon naquele mesmo instante, mas não. Estaría sem aquela força até que encontrasse vingança. Seus instintos então o ordenaram para a fuga. E seus passos logo o conduziram para longe daquele lugar...

-JOHNNY BLODIA

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Ambições Demoníacas 2 - Interlúdio

RETORNO À SANTA MARIA: OS PESADELOS DO PADRE GREGO

Os grilhões cerrados em seus punhos doloridos, o calor infernal daquele calabouço umído, escuro, abafado e claustrofóbico. A cabeça latejante fazia o padre Khansteriof Manshax mergulhar em em um torpor alucinado, um mergulho em regiões da consciência pouco exploradas pela maioria daqueles que dominam a sensatez.

No entanto, havia algo mais além daqueles tormentos vertiginosos... uma presença sinistra que também estava encerrada naquele local. Algo maligno, poderoso e oculto impreguinado no ar, e tambem presente naquelas paredes construidas há um tempo não determinável, e no próprio solo onde fora erigída.
Aquele presença havia permeado a mente do Padre Grego, e agora tentava invadi-la... Sua percepção deslisava em realidade e ilusões, horror e fuga. Mas como fugir de algo que persegue corpo e alma?

Naquela mesma noite havia sido aprisionado por Frederico Ríncon, torturado friamente por uma informação que ele mesmo não sabia definir. O mestre do mosteiro da Vila Santa Maria de Aragão tentara descobrir a origem das ilusões sofridas por Khansteriof, seja lá por quais motivos obscuros que guardava para sí.
"O que você viu?" - Interrogava Frederico - "Revele-me suas visões ou ficará neste lugar, e sofrerá muito, tem minha palavra!"

"O que você viu???"

O que era aquilo? O que significava aquela presença nefasta que remetía a algo antigo e abismal. Uma enorme mão escamada dotada de garras... verde como muco, agressiva como uma fera em frenesí assassino. Uma garra arrancada do braço que a empunhava, e vagando, sem vida numa imensidão infinita de mistérios e estrelas.

Mas uma energia profana ainda emanava daquele monumento da insanidade. Algo pulsante e dotado de uma animação poderosa, ainda que suspensa por motivos desconhecidos. Uma coisa, Uma entidade por sí só, que o simples pensamento daquela força amorfe vir a consciência eriçou todos os pelos do corpo do Padre Grego. Congelou cada pedaço de ether da sua alma.

Abriu os olhos.

Permanecía agrilhoado a parede daquele calabouço quente como o inferno. E tão lúgubre quanto o abismo onde lúcifer caiu.

Khansteriof Manshax estava preso naquele lugar... juntamente com algum terror sepulcral e inominável.

E não podia fazer nada quanto a isso...

-JOHNNY BLODIA