domingo, 23 de julho de 2017

DIÁRIOS DE CAMPANHA: CRÔNICAS DE SAH'GAH #01

O TEMPLO DE HUNDER
Partidas jogadas em meados da década de 1990. 
ANTECEDENTES
Os andarilhos Scorpion e Blodia viajavam pelo reino em busca de ouro e aventuras, alugando sua espada em troca de boa acomodação e bebida. Era uma vida simples, mas intensa. Fazendo com que ganhassem habilidade e experiência em combate.
PERSONAGEM DO JOGADOR
  • Scorpion (Robim): aventureiro andarilho, um jovem impulsivo e exímio espadachim. 
Scorpion. Desenho: MWXS
PERSONAGEM DO MESTRE
  • Blodia: aventureiro andarilho. Um jovem espirituoso e arqueiro hábil. 
Blodia. Desenho: MWXS
ANO 996, DIA 89 DO MÊS DA LUA CHEIA
O aventureiro Scorpion atravessava o reino em busca de algum serviço mercenário quando se aproximou de uma aldeia que estava passando por uma forte cerração. Scorpion estava acompanhado de Blodia, um bom amigo e arqueiro habilidoso. A dupla desconfiou do nevoeiro, mas sem outro caminho para tomar, resolveram passar pela aldeia e encontrar onde descansar.
Os habitantes do lugar estavam todos trancadas dentro de suas casas e os aventureiros perceberam tarde demais que o nevoeiro sinistro era os impedia de saírem da aldeia! Ao deixar a aldeia para trás em meio a névoa, eles se viam novamente na entrada por onde vinham. A aldeia havia sido escolhida para a aparição do Templo dos Sussurros, a morada mágica do demônio conhecido como Hunder!
Em busca de terminar com aquela maldição que havia se abatido sobre eles, a dupla resolveu adentrar o templo maldito. A construção antiga estava vazia, ou assim eles pensaram, até serem atacados por seres humanóides feitos de uma matéria escura. Eram golens de necroplasma, criaturas artificiais animadas magicamente para obedecer seu mestre… E castigar invasores!
Scorpion e Blodia venceram os golens e encontraram uma ampla câmara, rodeada de colunas e estátuas... Na parede oposta, havia uma opulenta escultura de um gárgula sentado num trono. A falta de ventilação naquele salão deixava o ar denso, o ambiente era opressor ao espírito de quem o adentrava. Cuidadosos, os aventureiros prosseguiram e num susto perceberam que o trono diante deles não estava ocupado por uma estátua!
Estavam diante de um demônio de verdade! A criatura cinzenta se ergueu, haviam cravos espalhados pelo seu corpo robusto. O gárgula não possuía boca, mas falava dentro da mente dos aventureiros, eram sussurros que os amaldiçoam e que faziam juramentos de punição pela invasão de sua morada.
Era o demônio conhecido como Hunder! Ele atacou Scorpion e Blodia, com seus músculos potentes e magias de fogo. Foi um combate ferrenho, Scorpion viu seu companheiro ser ferido mortalmente e num golpe de sorte, usou um último recurso: entre seus pertences estava uma adaga de sal, que acabou descobrindo ser um ítem capaz de enviar o espírito maligno de volta para o Abismo! Seu derradeiro golpe cortou um dos chifres do demônio e fez com que seu corpo se desfizesse. 
Hunder. Desenho: MWXS
Logo o templo inteiro se desmanchou, se misturando às névoas fantasmagóricas que o trouxeram. Por um instante tudo pareceu um sonho, mas diante de Scorpion estava a prova de que tudo havia sido real: Blodia havia morrido.
>>>
NOTAS DO MESTRE DE JOGO
Esta publicação conta (muito) resumidamente uma das aventuras jogadas durante os primeiros anos em que conheci os RPG... Digo, estou tratando de algo que aconteceu há cerca de 20 anos, eram meados dos anos 90. A minha memória não é a mesma faz tempo, mas recontar aquelas aventuras é algo que pretendo fazer, na medida do (im)possível. Nestes últimos meses tenho me empolgado bastante em exercitar escrita usando RPG, tendo como inspiração autores como George R.R. Martin e Eduardo Spohr, e lendo sobre obras como Record of Lodoss War. Como as lacunas da memória não me permitem exatidão, ocasionalmente eu vou precisar preencher os acontecimentos com algumas liberdades narrativas. Tá valendo.
Ofereço esta postagem ao Robim, amigo desde a infância, com quem descobri os RPG. 
MWXS
>>>