terça-feira, 9 de setembro de 2008

Ambições Demoníacas 2 - Interlúdio

RETORNO À SANTA MARIA: OS PESADELOS DO PADRE GREGO

Os grilhões cerrados em seus punhos doloridos, o calor infernal daquele calabouço umído, escuro, abafado e claustrofóbico. A cabeça latejante fazia o padre Khansteriof Manshax mergulhar em em um torpor alucinado, um mergulho em regiões da consciência pouco exploradas pela maioria daqueles que dominam a sensatez.

No entanto, havia algo mais além daqueles tormentos vertiginosos... uma presença sinistra que também estava encerrada naquele local. Algo maligno, poderoso e oculto impreguinado no ar, e tambem presente naquelas paredes construidas há um tempo não determinável, e no próprio solo onde fora erigída.
Aquele presença havia permeado a mente do Padre Grego, e agora tentava invadi-la... Sua percepção deslisava em realidade e ilusões, horror e fuga. Mas como fugir de algo que persegue corpo e alma?

Naquela mesma noite havia sido aprisionado por Frederico Ríncon, torturado friamente por uma informação que ele mesmo não sabia definir. O mestre do mosteiro da Vila Santa Maria de Aragão tentara descobrir a origem das ilusões sofridas por Khansteriof, seja lá por quais motivos obscuros que guardava para sí.
"O que você viu?" - Interrogava Frederico - "Revele-me suas visões ou ficará neste lugar, e sofrerá muito, tem minha palavra!"

"O que você viu???"

O que era aquilo? O que significava aquela presença nefasta que remetía a algo antigo e abismal. Uma enorme mão escamada dotada de garras... verde como muco, agressiva como uma fera em frenesí assassino. Uma garra arrancada do braço que a empunhava, e vagando, sem vida numa imensidão infinita de mistérios e estrelas.

Mas uma energia profana ainda emanava daquele monumento da insanidade. Algo pulsante e dotado de uma animação poderosa, ainda que suspensa por motivos desconhecidos. Uma coisa, Uma entidade por sí só, que o simples pensamento daquela força amorfe vir a consciência eriçou todos os pelos do corpo do Padre Grego. Congelou cada pedaço de ether da sua alma.

Abriu os olhos.

Permanecía agrilhoado a parede daquele calabouço quente como o inferno. E tão lúgubre quanto o abismo onde lúcifer caiu.

Khansteriof Manshax estava preso naquele lugar... juntamente com algum terror sepulcral e inominável.

E não podia fazer nada quanto a isso...

-JOHNNY BLODIA