quarta-feira, 11 de julho de 2018

SOBRE A LISTA DE INDICADOS AO ENNIE AWARDS 2018

Saiu a lista de indicados ao ENnie Awards deste ano e algo me chamou a atenção. Já era óbvia a mudança do cenário RPGista mundial há alguns anos, mas essa nova configuração do hobby saltou aos meus olhos quando reparei que Dungeons & Dragons quase não apareceu em qualquer categoria (até onde eu vi, consta apenas em Best Organized Play). Chega até a ser irônico (e triste, talvez?) isto acontecer numa premiação que originalmente tinha uma base constituída por fãs de D&D/d20.


Já há um bom tempo eu venho me indagando sobre o novo formato de publicação de material de D&D assumido pela Wizards of the Coast, com conteúdo bastante elogiado, mas que pra mim é enlatado e limitado. Claro, D&D é D&D, o Primeiro, o Clássico. Mas essa ausência no ENnie me faz refletir: à parte da sua mitologia na cultura pop, qual a relevância atual de Dungeons & Dragons para o RPG em si? Os lançamentos atuais não passam de módulos temáticos muito bem feitos tecnicamente mas estão distantes da exploração artística e criativa que o jogo apresentava em outros tempos. Mesmo na famigerada 4ª Edição.

Muitos dos nomes que se destacam podem parecer novidade para RPGistas brasileiros, como a Modiphius (editora inglesa que vem lançando jogos licenciados de Star Trek e Conan) e o elogiado Lamentations of the Flame Princess, algumas editoras clássicas ainda conseguem se destacar, como a Green Ronin (de Mutantes & Malfeitores e Dragon Age RPG), Paizo (de Pathfinder e do recém lançado Starfinder) e a editora velha-guarda Chaosium (de Call of Cthulhu).

O ENnie Awards é o conhecido por alguns como o "Oscar do RPG", indicando os artistas, desenvolvedores de jogos, produtos e editoras que se destacaram no ano. Os vencedores da edição 2018 serão anunciados em 13 de agosto, durante a GenCon em Indianapolis (Indiana, USA).

A lista de indicados e as categorias da premiação podem ser conferidos neste link.

BLODIA

>>>